DO SENTIDO DADO AOS PASSOS, AOS PASSOS QUE NOS CONSENTIMOS DAR... JAMAIS OS MESMOS DEPOIS DE TRILHAR O DESERTO BRANCO

11
Jul 08
Caso eu atropele um salpicão que vai de capacete em cima duma mota, de quem é a culpa?
Eu dou os pormenores:
Vou a sair da ponte Sai Wan a 50 km/h, na faixa da direita quando, de repente, o dito salpicão, sem fazer qualquer sinal (vulgo pisca), se pranta à minha frente, a 2/3 metros do meu carro.
Se ele se tivesse estampado e eu o tivesse atropelado (o mais provável) de quem era a culpa?
Porque o piso estava escorregadio da chuva. E ele passou-me mesmo uma tangente.
Quando cheguei ao Instituto ainda suava frio!
Roguei-lhe tantas pragas que o mais provável é que os filhos lhe nasçam todos albinos, mas mesmo assim não estou descansada.
Se as câmaras de segurança da ponte não servirem de prova uma pessoa está feita num "molho de brócolos".
Pode recorrer até que instâncias?
E detector de mentiras e soro da verdade?
Tribunais internacionais?
OK, direito não é, de todo, a minha área, e, como dizia o outro, " perguntar não ofende".
É que numa situação destas quem conduz o carro paga sempre!
E se eu ficar entalada sem ter culpa nenhuma, perdido por cem perdido por mil, acho que mando alguém partir-lhe o trinca-palha (caso tenha ficado inteiro).
publicado por fpg às 19:11

Julho 2008
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5

6
7
8
9
10
12

13
14
15
16
17
18
19

20
21
22
23
24
25
26

27
28
29
30
31


RSS
mais sobre mim
pesquisar
 
Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

blogs SAPO